Só uma pessoa muito insistente e perspicaz seria capaz de continuar numa busca infindável pelo que realmente existe de bom no interior de cada coração. Não sei mesmo se vale a pena, afundar-se dentro de um ser até encontrar “a good person”, pois inesperadamente o que existe de melhor desaparecerá. É fato. Indiscutivelmente é necessário que se aprenda a conviver com as terríveis ações cotidianas no mundo. Pode-se buscar a bondade e tudo mais, mas só um foi plenamente bom, e hoje só resta tentar imitá-Lo dentro de todas as limitações humanas que não são totalmente capazes de reproduzir o que houve há anos. Quanto mais longe temporalmente estamos desse fato, mais longe em ações ficamos, também. Insuportável. Talvez seja essa a palavra que define o convívio comigo mesmo. Mas como a natureza humana é altamente mutável e adaptável, tudo que era insuportável pode se tornar até agradável, então surgirão outros fatos, mas logo serão irrelevantes. Em todo caso “a good person” é inexistente.

11/10/2010

Anúncios